18 de junho de 2015

bocados das férias


Fomos uns dias para sul, para o Algarve. Mudámos de ares e de contexto; estivemos com os tios do Algarve e depois apanhámos o ferry em Olhão e passámos dois dias na Ilha do Farol. No regresso, passámos por Lisboa, ficámos em casa da bisavó e visitámos o Oceanário.


A primeira viagem de barco deles. Poderia ter sido algo normal, ordeiro, mas não; quase perdemos o ferry, estacionámos o carro e fomos a correr com crianças pela mão, malas, computador, toalhas e brinquedos de praia. Não perdemos o ferry por sorte, mas eles ficaram um pouco em estado de choque com aquele cenário e só quase no fim da viagem é que descontraíram e começaram a portar-se normalmente, ou seja, a correr sem parar.



Só estive no Farol uma vez, há dez anos. Não tínhamos filhos, não tínhamos horários, nada. Desta vez também não ficámos presos a nada, nunca fiz sopa, a sesta ficou reduzida a escassos minutos, fomos ao restaurante do sítio e comemos conservas em casa. O tempo esteve fresco, mas ainda assim, o sol do Algarve é único, tosta-nos à mínima exposição e foi mesmo isso que fomos buscar.



A Ilha anda envolta em polémica por causa das construções ilegais, ainda assim, foi algo que nos passou um pouco ao lado, os dias foram calmos e pudemos absorver aquele ambiente tão simples e exposto ao horizonte.




O regresso a Olhão foi também um pouco atabalhoado. Lemos mal o horário da carreira e depois de fechar a casa tivemos de regressar porque afinal só havia barco daí a 3 horas...



Chegámos a Lisboa, a loucura continuou. A minha avó viu uma espécie de tornado entrar-lhe pela casa dentro e sair com a mesma velocidade com que entrou.


Acordámos e fomos ao oceanário. A exposição temporária Florestas Submersas é pequena, mas vale a pena ver por estar muito bonita, perfeita. A Leonor ficou completamente envolvida pela música do Rodrigo Leão e foi difícil sair.


O resto já se sabe, é sempre espetacular, as crianças deliram, fazem milhares de perguntas, vibram com os peixes e outros animais ali tão perto deles.




Eu já fui ao Oceanário umas poucas vezes e esta foi a primeira vez que o polvo saiu da toca e abriu os tentáculos. Ficamos todos Ohhhhhh!!!! (reparem nas caras das pessoas do outro lado do vidro :D )


O Vasco e o Vasco.


Vale sempre muito a pena sair e viajar com as crianças, é tão, mas tão enriquecedor para todos!!


+++



já agora fica o filme do making of da exposição!

5 comentários:

Maria Godinho disse...

Adorei as fotos, parabéns! :)

http://blogdababym.blogspot.pt/

Dani disse...

o vestido da Leonor é super giro! ;)

sof* disse...

obrigada!!!

Catarina disse...

hummmm, tão bom! essa agua azul e quentinha já apetecia :)!
Nunca fui à ilha, mas tenho curiosidade.

Adoro a foto da bisa :)!

Olha que também já fui várias vezes ao oceanário e nunca tinha visto o polvo... tiveram sorte :)

bjs

Anónimo disse...

Adorei a foto da avó.
Suzana