26 de setembro de 2017

E também fomos passear a Lisboa!

No mesmo fim-de-semana também fomos dar um giro a Lisboa. Pela manhã andámos na zona do Castelo de São Jorge, aproveitámos que era domingo e a entrada era gratuita, no entanto, fiquei com a nítida sensação de que a maior parte das pessoas que estava na MEGA-fila para entrar, não sabia deste pequeno pormenor... Eu como tinha telefonado durante a semana para me certificar achei tudo aquilo muito esquisito e dirigi-me ao segurança para saber a razão de tanta gente, fui então conduzida ao guichê dos "Locais" e como residente em território nacional pudemos entrar imediatamente. O mais bizarro é que havia mais "locais" por ali que ficaram de olhos em bico quando viram 10 pessoas (nós) a entrar e eles ali a gramar aquela pastilha há pelo menos uma hora! Os que se aperceberam, julgo que se terão mexido...

Inicialmente o nosso plano era fazer o circuito do Elétrico 28 desde a Estrela até ao castelo, mas acabámos por abortar essa ideia e arriscámos tudo em ir de carro para o nosso destino. Claro que chegámos e não havia lugar em lado nenhum, demos umas voltas e como que por milagre cortámos numa rua na Graça onde um senhor nos encaminhou para um parque de estacionamento que ainda não estava em funcionamento mas que já nos podia receber. Foi MARAVILHOSO! Já estávamos na zona alta da cidade e embora andássemos cerca de 1km até ao castelo, a verdade é que não custou nadinha porque há sempre uma vista maravilhosa para contemplar, ruas e lojas giras e o percurso faz-se num instante. Fica a dica!!




Os miúdos divertiram-se imenso, ele era muralhas, ele era mapas, canhões, vista de um lado, vista do outro, cavaleiros, museu, um sem fim de coisas espetaculares que lhes ficou gravado na memória.
 





Depois do almoço rumámos a Belém. A avó queria um pastelinho e lá fomos nós crentes que "sim senhor, no interior dos "Pastéis de Belém" há imensos lugares", pois querias! Fila monstra na rua, fila monstra no interior, confesso que não estava à espera, desistimos na hora.
Demos um saltinho ao MAAT, mas também não tivemos muita sorte :) Os nossos miúdos queriam mostrar às primas a exposição que já tínhamos visto em maio, no entanto, estavam a desmontá-la e estando só o átrio aberto optámos por não entrar. Mas as crianças conseguem ser muito persistentes e mesmo sem bilhete os miúdos correram à varanda do MAAT e foi nesta altura que o segurança (um fixolas) sugeriu que eu tirasse bilhete apenas para os miúdos para eles descerem e verem apenas a sala disponível mas sozinhos. E assim fizemos :D "comprei" os bilhetes gratuitos para os miúdos lá irem e foi a alegria geral! Correu bem no fim.





3 comentários:

Catarina disse...

Estiveram tão pertinho de nós :)... vivemos muito perto da Graça e achei engraçado ver o vosso percurso e feedback, porque o fazemos também muitas vezes. Ultmamente menos, porque anda um bocadinho caótico... e por isso mesmo acho que tiveram sorte em decidir não vir no electrico28, porque se iam assustar com as mega filas. São de meter medo e como vocês eram tantos dificilmente conseguiam entrsr depois de muito esperar :(.
Nós costumavamos andar muito de electrico. Usavamos como transporte publico para os nossos percursos, mas com muita pena tivemos que desistir... o utilizador normal já tem muita dificuldade em apanhar o electrico. Se dantes o problema eram os atrasos e os carros mal estacionados que impediam a normal circulação, hoje o electrico28 foi transformado numa atracção turistica, bem mais acessivel que o que lhes é destinado.
O boom turistico, como sempre, tem vantagens e desvantagens. Por aqui já sentimos bastante as mudanças na cidade. As boas e as menos boas.

Beijinhos a todos ;)

Vidas da Nossa Vida disse...

Acabei de ler o post e senti uma vergonha imensa... de mim, claro! Nunca levei os meus filhos (7, 4 e 1) ao Castelo de São Jorge. Ups!! Vou já redimir-me com um post e uma visita ao Castelo!

sof* disse...

Lisboa é a minha cidade e adoro sempre que regresso sobretudo para mostrar aos miúdos os sítios que marcaram a minha infância. Mesmo caótica e por vezes surpreendentemente negativa em alguns aspectos, é sempre bom lá ir!

Bjs