20 de maio de 2013

somos ratos urbanos

Ocasionalmente, não será assim tão ocasionalmente, será mais A TODA A HORA, andamos a bisbilhotar os sites das agências imobiliárias à procura de uma casita maior. Nada de grandes luxos materiais ou mesmo de área, apenas gostaríamos de manter o luxo de continuar a morar na cidade, de nos deslocar a pé, ter mais um quartinho e quiçá um micro-mini-páteo. É que era só isso. Um rasgo no empedrado que fosse coberto por uma relvinha para os meninos se esticarem um bocado depois da escola.
De vez em quando lá aparece um imóvel com estas características, começamos logo de cabeça no ar a imaginar onde pomos a estante da sala e como ficaria o resto da mobília "ikeana" que possuímos e que giro que seria ver um ou outro móvel curioso que a minha avó tem em casa dela, a salvo de um dia se perder da nossa vista... Olhamos para o anúncio, olhamos para o cash-flow e voltamos à estaca zero. Procurar uma casa urbana não é tarefa fácil, sobretudo nos dias que correm.
Já demos por nós, também a dar oportunidades a moradias quase centenárias que ficam nos arrabaldes, a 5 ou "10 minutos do centro" (de carro...), vemos as casas, perfeitas, bons páteos, bons pormenores de época, mas quê? ir morar para o meio do milho? Não é para nós... Agora na infância acho que até era giro, vá, mas e na adolescência? Se fosse comigo eu não ía achar muita graça ter que depender de boleias de pais e horários de autocarros para ir à minha vidinha. E depois o que responder quando nos perguntassem "o quê, vocês deixaram de morar no centro e viemos para aqui?!?", pois é dificil :D

Mas lá está, ver sites imobiliários não custa nada e sempre nos podemos entreter a encontrar mil e um defeitos naquela casa que gostaríamos de comprar e que percebemos não ter a menor hipótese :DDD

Para mim qualquer um destes me servia...

3 comentários:

Catarina disse...

Pois...esse também é um dos pensamentos que anda sempre no ar por aqui...

martabatista.com disse...

tal e qual :)

Tica disse...

Arrabaldes e viver no milho é lindo :D

Continua por aqui, ninguém morre por crescer num T2! E depois é tudo isso da adolescência, concordo!