17 de novembro de 2009

O pai em casa


Por força das circunstâncias o Rui teve que passar (e ainda está) 3 semanas de muletas, vai daí que tem estado a trabalhar em casa. Venho aqui confirmar que, mesmo de muletas :D, a sua presença tem sido bastante positiva no que toca (pelo menos) ao convívio com a Leonor. Não são muitos os pais que podem desfrutar de estar com os seus bebés todos os dias 24xdia durante quase um mês seguido e em parceira com a mãe! É útil, posso ir ao supermercado, tratar de pequenos problemas logísticos, arrumar a confusão da casa entre outras tantas coisas e deixar a Leonor vigiada e animada, sem ter que a levar comigo para repartições públicas e ambientes com gente a espirrar e ar condicionados...
A nova Lei da Parentalidade já está quase perto de ser ideal, já permite ao pai tirar licença de 30 dias, no entanto esses 30 dias não podem ser gozados em conjunto com a mãe. Acho necessário alterar esse parâmetro, principalmente se a mãe teve um pós-parto mais complexo, ou se a criança é de tratamento mais exigente (noites em claro rebentam qualquer um...). Felizmente nenhum desses exemplos se aplica ao nosso caso, mas frequentemente penso nisso: se o rui tivesse um emprego em que tivesse de acordar cedíssimo e fazer-se à estrada como milhares de portugueses, ter chefes e problemas afins, seria complicado de facto. O período de adaptação dos pais a um bebé é das coisas mais mirabolantes que pode haver e o nosso Estado está quase, quase a entender isso.
No domingo passado a Leonor fez 3 meses, toda a gente sabe :), se estivéssemos como há uns 3 ou 4 anos (nem sei bem), ela teria que ir JÁ para a creche ou outra solução qualquer. Olho para ela, tão pequenina e dependente, entregue a alguém que não nós. Felizmente esse momento ficou agora adiado para os 5 meses (com prejuízo do ordenado é certo) mas mesmo assim ainda acho que seria necessário ficar com ela mais algum tempo, talvez até aos 9 meses ou mesmo 1 ano de idade. Em janeiro irei trabalhar e já ando de garganta apertada com a sensação de que vou sufocar de tanta dor.


a propósito disto, das companhias, saiu uma nota no Público :)

3 comentários:

sofia disse...

Beijinho...

miriam disse...

começo de hoje a 1 semana... :(
é tramado, só te digo! :'(
o que me consola é que tenho horário flexível e portanto posso ir buscá-lo bem mais cedo do que as outras pessoas!

martabatista.com disse...

1 ano era perfeito... para já acho que os 6 meses eram o ideal para facilitar a amamentação em exclusivo... e claro que devia haver um mês com licença conjunta a sério... não um pai de cada vez... mas...lá chegaremos... :)
hmmm o que vale é que a Helena fica com a avó e tenho a sorte de a ver na hora do almoço...

tb temos um boneco desses... :D