25 de janeiro de 2013

festas de aniversário - ficar ou não ficar, eis a questão!


Este fim-de-semana temos um aniversário de um amigo da mais velha. É uma criança que já conhecemos desde bebé e que convivemos com os pais desde essa altura, já lá vão 3 anos. Ainda assim, não é sobre o que irá acontecer que estou a escrever, mas sim, sobre um episódio que já se passou há mais tempo.
Há cerca de um mês, fomos (eu e a mais velha) a um aniversário de outro amiguinho, neste caso o amiguinho não era assim tão próximo e muito menos a relação entre nós, os pais. Ainda assim, visto que a criança fazia anos na altura do natal, eu achei que não deveria ter muitos convidados a aceitar o convite (achei eu...) e fui solidária com o facto dele ter nascido numa altura que não puxa a mais gastos, mas isso até era secundário. Ao chegar à festinha, reparei imediatamente que só lá estavam as crianças convidadas e a mãe e avó do aniversariante, então mas o que é feito dos outros pais?!?!
Eu admito que nunca na minha vida me passou pela cabeça deixar a minha filha em casa de umas pessoas que mal conheço "sozinha", para mim, foi "tão natural como a sua sede" ficar na festa até que nos viessemos embora, no entanto, para os outros pais foi natural deixar lá os miúdos e depois ir cada um à sua vida. Não! Medo! E as varandas? e as esquinas vivas? e se ela se porta mal e puxa a toalha dos croquetes? Claro que eu não podia vir embora, e fiquei ali a gramar a pastilha, que é como quem diz, gritos, levar miúdos ao wc, pedir-lhes para não saltarem todos em cima da cama do aniversariante, entre outras coisas (tudo em parceria com a dona da casa, naturalmente...)

Eu tenho que perguntar, mas o que é normal numa festa de aniversário de uma criança de 3 anos? É ficar ou é dar de frosques? Amanhã temos uma festinha, volto a pensar que conheço melhor estes pais, que são pessoas super porreiras e com as quais me identifico, mas estarei eu pronta para largar a minha criança numa festa e fazer horas em casa até que aquilo acabe? O que é o normal, pessoas com experiência?

18 comentários:

martabatista.com disse...

Acho que aos 3 anos é um bocado cedo para "deixar à solta" tanta criança :). Até agora as festas que fomos foram sempre com presença dos pais e nem pus em questão o contrário :D Mas numa dessas festas uma mãe comentou que houve uma festa em que o filho foi sozinho e até me perguntou se a Helena já tinha ido a uma dessas (não perguntei como correu)
Estou como tu, não sei o que é normal :D

vidasdanossavida disse...

O meu filho fez 3 anos há 3 semanas e o convite de aniversario estendia-se aos pais e manos das crianças. Eu não fiz em casa, o que acho que facilita a coisa, mas era impensável ficar com 30 crianças tão pequenas à minha responsabilidade. Os pais ficaram - e alguns dos amigos da creche mal os tinha visto até esse dia - e até foi uma maneira de nos conhecermos melhor sem ser na correria de o deixar ou ir buscar à creche. Correu lindamente.

Isa disse...

Mas aos 3 anos fazem-se festas de anos com os amiguinhos todos da escola!?Ai Jesus o que me espera... eu achei que isso era só lá para os 5-6 anos! Pensei que aos 3 iam só os mais próximos. Mas parece-me cedo para os deixar "à solta", e coitados dos pais do aniversariante... ;)

Aline Rodrigues disse...

Apesar de o Martim não ter ido ainda a muitas festas de amigos (à exceção de familiares, pois os amiguinhos acabam por fazer as festas na escola), já vi as 2 coisas. Enquanto o Martim for pequeno (ou seja, ainda até aos dia de hoje), não me passa pela ideia deixá-lo lá sozinho (pois já tem havido festas com insufláveis, piscinas e coisas do género). No entanto, numa outra ótica, organizar uma festa para pequenos e graúdos, além de ser um gasto gigante para quem organiza (pois além da comida e bebidas para os miúdos, há que tê-las tb para os adultos), também pode ser complicado para quem recebe, em termos logísticos. se a festa for num sítio fora ou espaço próprio, talvez dê para todos, mas imagino num apartamento se juntar uns 8/10 miúdos mais os pais. Mas tudo depende das idades. Quando os miúdos são pequenos, há que os acompanhar, sim. Um dia maiorzinhos, penso que, se conhecermos as pessoas (e também vermos que tipo de comportamento os nossos têm), poderão lá ficar.
Em França, quando eu era pequena, não havia uma festa em que os pais ficassem lá. Tudo depende das idades, da logística e da recetividade de quem convida.
beijinhos

micaju disse...

Eu sempre fiquei com as minhas. E quando conhecemos e nos damos bem com os pais, ainda é mais fácil, pois ficamos todos em "amena cavaqueira". Quando sou a anfitriã, também agradeço que fiquem (embora a maioria não o faça), sempre é ajuda extra, que nunca é demais. Agora na escola primária (com 6 e 8 anos), só ficamos quando as festas são em locais públicos, ou quando conhecemos as mães e não temos confiança nelas (há umas mães desmioladas por aqui). Mas de todas as vezes repetimos e repetimos todas as nossas regras, às miúdas, antes de as deixarmos.

Batatafritamãe disse...

Eu nem pensar que vou deixar a minha criança tão cedo numa festa.
Por várias razões. Porque ninguém consegue receber convidados, por os croquetes na mesa e ainda assim tomar atenção ãs crianças. Mesmo que seja num espaço apropriado a festas, vigia-se sempre num todo. Impossível dar conta de tudo.
Com 3 anos jamé.
E tenho dificuldade em dizer quando deixarei de ser cola numa festa.
Já assisti a uma cena que metia sangue, entre miúdos de 5 anos, numa festa.

sofia costa disse...

Eu, quando a Alice fez 4 anos ainda não quis convidar os amiguinhos da sala porque não me responsabilizava a ficar com crianças de 3 e 4 anos sem os respetivos pais aqui em casa mas também não queria a casa cheia de pais que eu não conheço por isso não convidei amigos da escola... este ano, pela primeira vez tive uma amiguinha da Alice a passar uma tarde aqui em casa e sem os pais, foi uma experiência gira, depois a Alice foi, pela primeira vez, ao aniversário dessa amiguinha e ficou lá sem mim mas ela está quase a fazer 5 anos e eu já conhecia a mãe dessa menina e a festa ia ser só com amigos próximos dos pais da miúda, com 3 anos nunca a deixaria sozinha numa festa! Amanhã vai a outra festa de uma amiga da escola e esta nem conheço tão bem mas são só meninas e seja o que Deus quiser porque a mim ainda me custa bué!
Este ano, no seu 5º aniversário (OMG, vou hiperventilar...), vou faze a festa para os amiguinhos todos da escola no Parque Biológico de Gaia porque assim não me viram a casa de pernas para o ar e há monitoras a tomar conta deles e os pais também podem lá estar se quiserem!

**SOFIA** disse...

obrigada a todas pelos vossos comentários tão úteis, fico mais descansada por ver que partilham da minha lógica :)))

Caramba, a Alice já vai fazer 5 anos, fogo ainda parece que passou tão pouco tempo!!!

cibele barreto disse...

Acho isso muito estranho...
Lá na minha terra (hahaha) isso não é nada comum, nem com 3, 4, 5 anos... não há festa de aniversário sem os pais.
Há tempos fomos convidados para uma festa, de uma coleguinha da Clara da escola...chegamos lá e me deparo com essa cena... haviam crianças desacompanhadas... Aquilo me fez muita confusão.
Não me sinto nada a vontade em deixar a minha filha, por muitas razões, mas principalmente pela idade dela - 3 anos é muito pequena ainda...

confesso que sou mãe galinha. fazer o quê...





Tica disse...

Eu não quero a responsabilidade de deixar a minha filha sozinha em casa de outros e a responsabilidade de tomar conta dos filhos dos outros. Por todos os motivos e mais algum. Quando era pequena também fui a uma festa sozinha (com muitos adultos e os pais muito amigos da minha mãe), e já tinha 7 anos, mesmo assim a dançar bati na esquina de um móvel e tive de ser cosida na cabeça. Ninguém teve culpa, mas é tramado. Com os mesmos pais e amiga, fomos a um pic nic junto ao rio, por causa das coisas, o pai da minha amiga não nos deixava entrar no rio e estava um calor de matar, eu estava lixada, mas quiseram assim pq a responsabilidade é do caraças. mas eu fiquei c ela atravessada :d

sofia costa disse...

Sof, eu só de pensar que ela já vai fazer 5 anos até me dá uma coisinha má!

miriam disse...

pá, no way... comigo não vai a festas dessas. tal como a batatascommaionese eu acho que é impossível dar conta do recado com tanta coisa. por essas e por outras eu só convido os nossos amigos, que muitos já têm filhos e são amigos da minha cria.
por exemplo, a minha irmã tem esta mania de fazer festas com os amigos da escola do filho e no último aniversário (dos 5 anos!) ficou muito chateada por alguns pais terem lá ficado...
tão cedo não irá a festas sozinho.
ainda por cima conheço-o muito bem :D não confio.

sofia disse...

Pois, eu partilho da opinião geral: aos 3 anos não fica sozinha em festas, nem pensar!
Nem aos 4!...
Mas verdade seja dita, nunca nos foi colocada essa hipótese
São demasiadas crianças para tão poucos olhos

Sandra disse...

e na escola como ´´e?????

as educadoras sao mesmo super mulheres??????

25 e 4 olhos quando nao sao mais.....


**SOFIA** disse...

na escola as crianças não estão eufóricas, estão sob normas. pelo menos na escola da minha filha...

Marta disse...

Já venho tarde mas eu também não deixei a minha em casa de ninguém tão cedo. Acho que a primeira vez que ficou numa festa (em casa de uma amiga) sozinha foi com 6 anos.
Mas já a deixei em parques, naqueles parques temáticos que organizam festas de aniversário. Aí as festas são só para as crianças, têm monitores e apenas os pais dos aniversariantes (ou de crianças mais pequeninas) podem estar lá dentro. A partir dos 4 anos a Inês começou a ter festas nestes moldes. Eu levo-a, não posso entrar, mas fico sempre por lá no bar de apoio do parque, muitos deles dá para ir espreitando o que se passa.
Acho que fizeste bem em ficar com ela :)

calita disse...

Esta é uma questão muito pertinente, daí o meu primeiro comentário, apesar de passar por aqui há algum tempo (o que não quer dizer que seja a única, já houve outras questões pertinentes, mas esta é particularmente sensível par mim). Não sei o que são festas de aniversário para amigos dos pequenos antes dos 6 anos. A partir dessa idade já fiz seis festas de aniversário da mais velha e, apesar da confusão, prefiro assumir a responsabilidade do que "levar" com os pais de alguns putos.

Sara disse...

Olá, já venho tardíssimo, mas só hoje descobri o blog (que adorei).
O meu filho, antes dos 4 anos não tinha festas de anos de amigos da escola. Em compensação a partir dos 4 para os 5 todos fizeram festa e só da 1ª vez é que ficámos porque ele estava num pranto. A partir daí ficou sempre sozinho, nas duas primeiras eu fiquei por perto (num café a ler um livro) fosse em casa dos pais do amigo ou em festas com monitores. Não foi pacífico para mim, mas segui o instinto e francamente, "fazer conversa" não é o meu género. Mas aos 3, sim, é cedo.