11 de julho de 2011

Dias bons


Ocasionalmente regresso de onde vim, normalmente vou lá visitar alguma família, mas desta vez revi amizades que ficaram congeladas no tempo durante 20 anos. Parece impossível que passaram estes anos todos e a verdade é que as caras, os trejeitos, as piadas mantém-se inalteradas. Eu confesso-me agarradinha às memórias que tenho, tanto das pessoas que me rodearam, como das paredes que me albergaram. Faz parte, é meu e não abro mão disso.


Dedico este post a todas as pessoas boas que passaram pela minha vida, sem vocês eu não seria a mesma.

2 comentários:

Maria de Lurdes disse...

Grande som, grande imagem

cyanjoalharia disse...

Subscrevo inteiramente. Ainda sou o que era, ainda sinto o que sentia :)