7 de novembro de 2011

Leitura de cabeceira

Andava já há algum tempo o livro na estante, sossegadinho, já com uma ligeira camada de pó, diga-se... Santa Tracy, desfia truques, dicas, paz de espírito num livro que me faz sentir que efetivamente ter uma criança de dois anos não é pêra doce. Isto é muito espírito de contradição junto, para além de me dizer constantemente que "não", mesmo quando há dois segundos atrás queria maçã e agora já "não quer", também me diz "acho que não" com um ar de quem acha mesmo qualquer coisa. É uma canseira e se às vezes me interrogo que vontade masoquista é esta de querermos ter filhos e quiçá mais filhos, leio ali no livro, nos milhões de testemunhos que lá vêm, que eu não sou a única criatura e pôr as mãos à cabeça e ter estas dúvidas. Claro que é só um livro, vale o que vale, mas o facto de me identificar com tantos episódios faz-me sentir imediatamente que a minha criança afinal saiu de dentro de mim e que não veio de uma chocadeira de luz vermelha.
Uma das características interessantes e jeitosas deste livro é a quantidade de "caixas-resumo" que aparecem em várias páginas, e porquê? Porque uma mãe, ou pai normal, não tem horas de leitura de prosa como uma pessoa livre e solta tem. Uma mãe ou pai desgovernado deita-se 5 minutos, lê duas caixitas, sorri aliviado e adormece com o livro. Ahhh valha-me a santa paciência  e que não me falte a coragem para estas vidas.

para quem quiser, aqui.

6 comentários:

Maria de Lurdes disse...

Salvé Tracy Hogg, que agora os anjinhos do céu se portam muito melhor e andam muito mais felizes, seguros e satisfeitos com quem cuida deles!
Valha-nos a obra deixada em terra...

Próxima aquisição, ou achas que o tomo de desenvolvimento (o terceiro livro) já é suficiente?

**SOFIA** disse...

estou servida, obrigada!!
:DD

MarianaS disse...

Qual é o terceiro? Eu não tenho nenhum, já não fui a tempo ;)...
Mas se houver tipo 3-5 anos, quero!

**SOFIA** disse...

creio que este que eu tenho também te serve.
fala de muitas coisas que ocorrem mais cedo, como birras, deixar fraldas e chupetas, mas fala também de comportamentos, interações com futuros irmãos. coisas que passam pela cabeça das crianças e como elas apreendem o nosso universo.

cibele barreto disse...

ai como eu entendo este "não" mesmo depois de alguns segundos ter dito "sim"...nervos!!!
...hoje aconteceu-me uma coisa que fiquei com remorso. hora de dormir, ok, vou lá conto histórias, canto e pronto...berço, como todos os dias, mas hoje ela não queria ficar lá de jeito nenhum e eu fui aos poucos perdendo a paciência...agarrei-a com força e chamei a atenção...claro que ela ficou sentida, chorou, chorou...e então tira a chupeta e diz: "dexupa mamã" (desculpa mamã)....pronto, fiquei arrasada, meu coração ficou ali, em pedacinhos...
enfim, as crianças são peritas! :)
beijinhos a tua linda menina

**SOFIA** disse...

um clássico, cibele!
"dexupa mamã" é lindo, confessa! mas é lixado...