4 de novembro de 2010

A explicação da infância, by sic



Acho que posso dizer que apreciei a reportagem, ou melhor, gostei dos miúdos, ou melhor ainda, gostei de 3 deles: a miúda espevitada, a miúda do tanque e o miúdo da dança.
Não gostei nada daquele miúdo que diz com ar de parvinho que quando for grande não quer ter um trabalho, mas que quer ter um emprego como o Cristiano Ronaldo. Os nossos filhos são os nossos retratos, portanto, filho parvinho, igual a pais parvinhos, ou tugas, como lhes queiram chamar...
Keep on the good work jerks!

2 comentários:

Marina disse...

Não vi o vídeo mas o cachopo para dizer isso não é parvo de todo! O homem está bem mas bem na vida (é um emprego honesto e bem pago), não é isso que queremos para os nossos filhos? Bjs

Madame Pirulitos disse...

Hummmmmmm. parece-me que tem muito a ver com as vivências de cada um.
Confesso que a minha realidade, a dos meus pais e até dos meus avós (dois deles) é a do curso superior. Eu dou por mim a dizer que só quero que eles sejam felizes e que estejam bem na vida... mas não imagino os meus filhos só com o 9º ano. Não é isso que almejo para eles.

mas entendo que alguns almejem. E até acredito que um dia vou ver passar eses putos num bruto carro e que os meus filhos são capazes de andar num opel corsa. Se eles são os espertos e eu a parva? Não sei... Continuo a achar que é tudo uma questão de realidades, de vivências. mas ainda bem que não vamos todos ao mesmo:)