27 de outubro de 2011

Empresas familiares

Nós fazemos parte daquele grupo de pessoas que investiram a cara e a coragem numa empresa familiar. A nossa, foi criada por nós, não foi herdada, nem transformada, é coisa para ter pouco mais de dois anos de laboração oficial, e tem-nos dado muitas alegrias, mas também muitas arrelias. Tal como a maior parte dos negócios em Portugal, dedicamo-nos aos serviços, dedicamo-nos a melhorar os serviços dos outros, e para além da obrigação de termos uma contabilista, somos nós que fazemos tudo, desde atender telefones, entregar encomendas, pagar contas, receber clientes entre outras inúmeras tarefas diárias. Neste momento, em Portugal, é lixado ser-se empresário; apesar do nome parecer pomposo, não temos grandes benefícios sociais (por exemplo, subsídio de desemprego); há também uma catarefada de impostos e outras obrigações que nos tiram do sério, fora toda a instabilidade causada pela incerteza da chegada (ou não) de novas encomendas.
Recentemente vimos a Grande Reportagem da SIC, e apesar de não sermos uma empresa de produção de bens paupáveis (como dizê-lo?) ficámos contentes por ver que há por aí muita gente teimosa em aguentar os seus negócios e a perpetuar empresas familiares. Fazem produtos de primeira qualidade, alguns até com referências históricas (lápis azul viarco, usado na censura), dedicam-se a nichos agrícolas, tecnologias de ponta, ao turismo de habitação e por aí fora. Creio que um dia (muito distante) ainda espera por nós um monte algures no Alentejo, onde possamos ter uns quartinhos para receber turistas e uma horta para produzir qualquer coisa que resista à nossa inexperiência. Um dia, tenho a certeza!
(vou ver se consigo colocar a reportagem mesmo!)

5 comentários:

Marta disse...

Nos dias que correm é preciso coragem. Desejo-vos muito sucesso.

batatas com maionese disse...

O sonho comanda a vida!
Para quando um post sobre o balanço de trabalhar por conta própria e com a cara-metade? :)

Maria de Lurdes disse...

O talento e criatividade vocês têm, o trabalho vocês fazem, o sucesso está aí, sempre a crescer!

sof* disse...

obrigada a todas! isto não está fácil, mas se assim o fosse não dava tanta pica ;)


(está para breve a dissertação sobre a vida 24/24h)

Tica disse...

Mas tudo o que vier de bom é pra vós! E compensa. Enquanto que numa obra todos se esmeram para o melhor prazo vs custos vs qualidade e segurança, mas o prémio da obra só vai para o director de obra! E nem vê-lo... E estamos a falar de uma pipa de €€€€€€