11 de abril de 2015

da vontade de expressão


Há dias em que eu estou numa de "Não quero saber"; o normal é eles vestirem o que eu destino e pouca conversa que se faz tarde, mas uma e outra vez cedo aos pedidos dela por vestidos, pelos colares, pelos tutus, asas de fadas e até nos livros e brinquedos que querem MESMO-LEVAR-PARA-A-ESCOLA!

(E eu penso, mas que caraças eu quando era pequena também quis ir um dia para a escola, de saia escocesa e camisa escocesa tudo ao mesmo tempo e achei que estava para lá de espetacular.  A minha mãe resistiu até onde pôde, mas acabou por ceder e assim que cheguei à escola recebi um comentário da minha professora que me fez nunca mais contrariar a minha mãe.)

Adiante.
Esta semana, o nosso mais novo lembrou-se dos óculos de natação e quis à viva força que os pusesse. Ainda tentei demovê-lo, mas ele estava certo que aquilo é que era, e mesmo perante a nossa risota, as fotografias e os elásticos a cair, ele entrou triunfante na sala dele onde os coleguinhas literalmente pararam de fazer o que estavam a fazer para olhar bem para o novo look do Vasco. Ele estava felicíssimo, orgulhoso dos seus óculos, vendo um mundo mais cor-de-rosa do que qualquer um de nós e eu pensei "Por que não?". Eles são crianças durante tão pouco tempo, passa tudo tão depressa, qual é o problema em usar óculos de natação ou ir vestida de princesa a meio do ano (coisa que ela já fez umas poucas vezes na escola...), usar um vestido com estrelas sobre umas leggings com estrelas, porque não?
É certo que na rua toda a gente olha e ri, mas é um riso de graça e não de gozo, aos miúdos isso é completamente irrelevante e isso também está bem para mim.

2 comentários:

Modern Ana disse...

Ahahahahah! ADOREI!!! A lógica dos miúdos de 3 anos é coisa que me fascina. O meu também quis ir de gravata e fato de treino outro dia. SIGA! Que mal vem daí ao mundo, hm?

raquel disse...

Concordo a 100%.
E confesso que adoro estes pequenos devaneios.
:)