12 de abril de 2015

O beliche - finalmente!

Hoje, quando fui à reciclagem ocorreu-me se realmente as camas não se conseguiriam sobrepor. Cheguei a casa e propus que fizéssemos um teste para ver se não daria para forçar a zona empenada e empilhar as camas. E assim foi, ele ajustou os encaixes às furações, forçámos as cabeceiras e não é que as camas sempre se montaram!!! As crianças quando viram ficaram OHHHHHH e já não saíram do quarto enquanto não as deixássemos subir. 


No momento em que tirei estas fotografias ainda faltavam encaixar a trave-barreira da cama de cima e a escada, mas nada disso impediu que eles subissem e descessem do beliche em menos de nada. Estavam eufóricos, meteram-se dentro dos lençóis, vestiram os pijamas e só perguntavam quando é que jantávamos para depois irem para a caminha...


Tal como já disse há uns tempos, estas camas são da Olaio, foram compradas em 1990 e foram usadas por mim e pela minha irmã até há uns três anos atrás sempre que íamos a casa dos meus pais. Sempre existiu a possibilidade das camas serem montadas em beliche, porém, o kit nunca foi comprado porque nunca foi necessário, mas feliz ou infelizmente eu fiz questão de meter essa ideia na cabeça e não descansei enquanto não vi isto feito. Calhou o marido da minha irmã e a irmã dele terem camas iguais a estas com o tal kit, mas algumas diferenças incompatibilizaram a montagem. Embora não conseguíssemos fazer o beliche, pudemos falar com o nosso carpinteiro de confiança e ele fez este milagre de construir todas as peças fazendo meia dúzia de rabiscos e apontamentos. Confesso que no dia em que o recebemos em nossa casa para lhe explicarmos o que queríamos fazer, que me pareceu que ele não percebeu nada de nada, mas passadas algumas semanas, fomos buscar todas as peças e as mesmas serviram na perfeição na cama da Leonor - quem sabe, sabe, já diz o ditado.


O quarto ganhou toda uma nova dinâmica, tem duas zonas distintas, uma de dormir e organizar mais exígua, e outra para brincar e ler mais ampla. Fica prometido que depois fotografo o conjunto que agora vai mais ao encontro daquilo que eu considero que fica bem nesta fase da infância deles.


Em termos práticos também ainda não posso avaliar se o beliche é prático ou não, refiro-me à manutenção da roupa de cama e das "urgências" noturnas, mas tudo tem o seu tempo de adaptação. Este é um beliche baixo, tem uma altura de 1.50m o que faz com que a cama de baixo tenha pouco espaço para eles se sentarem, quanto mais porem-se de pé, mas o objetivo de uma cama é ter o seu utilizador na horizontal, portanto terão/teremos de ter cuidado com a cabeça, é o que é. Eu que tenho 1.60m consigo com pouca dificuldade chegar aos extremos da cama superior, a qual tem apenas 90cm de largura.


5 comentários:

carla disse...

Que fixe! Em nome da Leonor e do Vasco, Muito Obrigado! Por os deixarem ter um "castelo" no seu quarto. Vai ser super divertido!!!!!

**SOFIA** disse...

:)))) hy mate!

eles estão radiantes, acho que isto é coisa para durar algum tempo!!!

beijinhos**

Modern Ana disse...

Gosto muito de beliches! Mas posso dar uma sugestão? Dar uma rapasdela nessa madeira e pintar em cores mais alegres! Foi o que fiz na caminha do meu, que também era nesse pinho, herdada dos meios-irmãos. Raspei, pintei de verde lima e dá outra vida ao quarto. Num fim-de-semana faz-se isso, e se eu consegui, vocês que são experts nessas coisas, melhor ainda!

sof* disse...

Olá Modern Ana,

confesso que também não sou grande fã de pinho ao natural, mas estas camas são em faia se não estou em erro. As camas, de facto, precisavam de ser lixadas e envernizadas novamente porque têm muitas marcas de uso, mas pintar todas estas estruturas (lixar, dar primário e pintar duas ou três vezes) não está mesmo nos nossos planos :D

vamos assumir a madeira a contrastar com o branco dos restantes móveis do quarto :)

obrigada!

mamãju disse...

Um beliche é mesmo uma boa solução num quarto pequeno, e os miúdos precisam é de espaço para brincar! Eu e a minha irmã também usávamos beliche! No meu caso, com os meus dois filhos, tenho um pouco de receio porque o mais velho é sonâmbulo e tenho medo que caia "lá de cima" e o mais novo ainda é muito pequeno para essas "alturas"! ;)