22 de maio de 2012

ser ignorante tem as suas vantagens



Ao aproximar-me de forma galopante para o fim desta gravidez começo a sentir um nervoso miudinho, algo me incomoda, basicamente estou a ficar com medo, pronto. Eu agora já não sou uma donzela, sou uma mulher da vida, ou melhor, uma mulher que deu vida e que em breve dará novamente.
Se da primeira vez todo o processo se desenrolou tal como seria suposto, ou seja, entrei em trabalho de parto naturalmente, sem induções químicas ou toques dolorosos, o parto em si também não foi instrumentalizado, eu apenas cheguei, disse ao que vinha, que queria epidural o mais depressa possível e depois relaxei até a rapariga estar cá fora. Desta vez ando sempre com a ideia de que um raio não cai duas vezes no mesmo local, tenho receio de passar por experiências de dor extrema sejam elas físicas ou psicológicas, sou muito fraquinha no que respeita à resistência à dor... Se por um lado tenho esse medo, por outro tento mentalizar-me que não tenho alternativa senão ajustar-me ao que vier, qualquer mulher faz isso, portanto eu não sou menos do que ninguém, certo?!
Em todo o caso, é um sentimento pelo qual não estava à espera, sempre me senti bastante confiante todos estes meses, mas há umas semanas para cá que ando mais pensativa e cada vez mais me convenço que tenho efectivamente de voltar a fazer o curso pré-parto, o qual incidiu bastante na motivação da grávida e seu encorajamento de modo a proporcionar ao bebé um parto o mais perfeito possível.

Antes de iniciar as minhas aulas tento manter presente o seguinte:

- a grávida preparada não tem medo (aprendi no cursinho!)
- as mulheres da minha família são/foram excelentes parideiras
- as magras têm muita força
- tenho boas ancas
- tenho um marido muito prático
- por norma o segundo filho demora menos tempo a despachar

Vou ali concentrar-me, até já!

7 comentários:

lena disse...

vai tudo correr optimamente,vais ver!beijinhos

Inês disse...

Eu tb estava cheia de medo com o segundo filho e olha que o ser (muito) mais rápido é mesmo verdade. Em 2 horas estava "cá fora".
Boa sorte! Vais ver que corre tudo bem.

sofia costa disse...

Sofia, disseste tudo, tudo o que me passa pela cabeça... :)
O parto da Alice embora induzido porque eu não fazia dilatação, também funcionou tudo direitinho. Rebentaram as águas em casa, com calma fui para a maternidade, passei a noite a soro com contrações não dolorosas. De manhã induziram, aplicaram a epidural, as dores foram-se e relaxada e feliz recebi a Alice sem grande esforço nem situações traumáticas. Nestas últimas semanas também me atormenta a ideia de que um raio não cai duas vezes no mesmo sítio, como dizes... :) Mas tento pensar como tu, tenho boas ancas, tenho força e estou preparada. E sim, todas as mulheres do mundo passam por isto, se algo correr menos bem, são apenas umas horas e tudo se resolverá! :)

Marta disse...

Eu também senti essas angústias na segunda.
Mas como se sabe, o parto é aquilo que menos controlamos em todo este processo. O que tiver que ser, será.
O já termos passado por isso, neste caso, não ajuda muito porque sabemos ao que vamos. Mas podemos tentar virar isso a nosso favor, há situações que já não assustam porque já conhecemos e estar pronta e com a energia focalizada para tudo o que for novidade.
Uma coisa é certa, é para nós, não podemos desistir nem fugir logo, é enfrentar com coragem!
Os meus partos foram muito semelhantes (tempo, dores, o mesmo local, as mesmas pessoas) mas eu notei que estava mais tranquila e vivi tudo com mais consciência.

claudia disse...

ola! mais me assusta(eu agra q nao estou gravida) e o pos parto, as colicas, as noites mal dormidas...espera! acho q tb tnho mt medo porq ja sei q doi muito! mas o melhor mesmo e nao evitar o medo! encara lo de frente e qd chegar a hora seres uma super mulher!so as mulheres aguentam! e tu nao es excepçao! nao disse nada de jeito mas esse assunto deixa me os nervos em frangalhos ehehhe

bjinhos coragem Mulher! :D

IsaMaria disse...

Olha, como eu me revi neste teu post. No meu segundo parto, quando de entrada na maternidade, as pernas termiam tanto, batia os dentes de teremura que a enfermeira perguntou-me o que tinha. Não respondi. Para mim era medo, penso que era sobre o que poderia acontecer. Já sabia ao que vinha e se fosse igual ao primeiro parto, nada mal. Mas e se fosse pior??? Que medo me deu dessa vez, nada como quando foi o promeiro. Não sabia ao que ia...
Mas tudo te correrá bem. Felicidades e uma hora pequena.

Catarina disse...

Vai correr tudo bem vais ver! o nosso problema é pensar de mais nas coisas (falo por mim)... nas minhas aulas de preparação a terapeuta dizia sempre que quanto mais formação (e informação) tem a grávida pior, e acho que realmente faz sentido :)! Tenta relaxar, pensar nos pikenos e que estás a viver uma fase fantástica e irrepetível...e que não tarda já estás é com saudades, por isso toca a aproveitar relaxada!
(claro que falar é fácil...porque eu desde as 32 semanas senti o mesmo e acho que se voltar a engravidar vai ser igual).
Beijinho grande e respira fundo!