8 de novembro de 2012

conta-me histórias

Ocasionalmente, no meu trabalho, deparo-me com conteúdos deveras oportunos. Neste blog conto as minhas histórias, nada de estórias ficcionadas, isso fica para quem tem o dom da palavra e o dom da imaginação. Não vamos continuar a confundir, please...

"Estória
Pretendendo marcar o caráter de ficcionalidade de uma narrativa, alguns escritores utilizam este neologismo, em oposição à história, que teria maior comprometimento com a realidade. Grosso modo, estória corresponderia ao inglês story, que se opõe a History, a historiografia, e costuma apresentar também o aspeto da brevidade (short story).
No entanto, há que considerar ainda três outros traços que marcam este conceito: o cariz popular, a oralidade e uma certa aura de maravilhoso. Foi assim que o termo apareceu pela primeira vez, em 1962, aquando do lançamento do livro de contos de Guimarães Rosa – Primeiras Estórias. Nestes ressalta o esforço do escritor em valorizar a palavra, em criar uma linguagem adequada à representação do mundo mítico do sertão, para o que utiliza arcaísmos e termos de sabor popular, como estória. 
Biblos – Enciclopédia Verbo das Literaturas de Língua Portuguesa, vol. I"

A propósito... linda!

4 comentários:

Marta disse...

Tão simples quanto isso!

Em jeito de mnemónica:
estória = livro (ficção)
história = jornal (real)

sof* disse...

tão simples, no entanto tão complicado...

ML-As Maravilhas da Maternidade disse...

Elementar.

MarianaS disse...

Adoro esta música, então na versão dos clã é potentissima!