16 de novembro de 2012

o cúmulo da generosidade



é nós termos a felicidade de ter um casal amigo que adoptou um casal de gémeos.
Muita força, tudo de bom para vocês!

É ou não é para lá de espetacular?

9 comentários:

Baunilha disse...

mesmo! altruismo, coragem e amor a dobrar! é por estas que ainda acredito que há pessoas maravilhosas neste mundo.

Ana disse...

Cumulo da generosidade porquê???
Desculpe mas são palavras infelizes para se chamar ao ato de adoptar...Adoptar é muito mais do que o cumulo da generosidade...
Eu adoptei e estas palavras cairam-me um bocado mal. Adoptei porque quis ser mãe, ponto final. Não porque quis passar por generosa e boazinha ou por ser o cumulo da generosidade.
Francamente!

chadebergamota disse...

ana, penso que a sofia se estaria a referir não ao ato de adotar em si mesmo mas ao facto de aceitar duas crianças de uma vez; ter gémeos deve ser uma aventura para pais adotivos tal como para biologicos, só que para os adotivos, é uma escolha... daí a generosidade.
agora, de fato, adotar é só uma outra forma de ser mãe (e pai) e não tem a ver com generosidade.

já agora, também não gosto quando se fala da adoção como uma solução de recurso apenas para quem não pode ter filhos. há quem possa ter e tenha filhos biológicos e ainda assim queira adotar. eu gostava.

tudo de bom para os teus amigos - e respetivos rebentos, sofia! beijinhos.

Marta disse...

Uma felicidade! Vão ser logo pais a dobrar.
Boa sorte para essa nova família.

Aline r disse...

É mesmo! principalmente nos tempos que correm. Mas dá para separar gémeos? Seria uma violência. Tudo de bom para esse casal.

Ana disse...

Ok, adoptar gémeos pode ser um ato corajoso.
Continua a soar mal "o cumulo da generosidade", mas pronto, ás vezes, saiem-nos estas coisas da "boca pra fora". Eu como já estou tão "farta" destes comentários, reagi um bocadinho a quente ao ler o titulo do post.
Eu sei que as pessoas não falam por mal.
Mas apenas quero alertar que em geral os adoptantes detestam que os tratem dessa maneira. Somos apenas pais. E não é modéstia.
Eu adoptei porque quis ser mãe, nunca sonhei engravidar, o parto apavora-me, decidi adoptar, a pensar em mim, em me auto-realizar.
Se já pensei no bem que fiz ao meu filho por o ter ido buscar, é claro que já . Mas não foi esse o motivo que me levou a adoptar.
Quando me candidatei uma das primeiras questões colocadas pelos técnicos de adopção foi se o estava a fazer por generosidade/altruísmo ou porque queria ser mãe. E não sabendo aquilo que eles queriam ouvir, fui sincera e disse que queria apenas ser mãe...E era mesmo aquilo que eles queriam ouvir.
Tudo de bom para esse casal

**SOFIA** disse...

bem bem bem, se havia coisa que eu não queria era ter sido mal interpretada!!! socorro!!
no momento em que estamos, em que em todo o lado se fala de crise, de cortes, de miséria, de subsídios, de protestos, de crianças com doenças horrorosas, achei que esta notícia era simplesmente uma Maravilhosa Notícia. Eu não vejo a generosidade como algo que pareça um favor ou piedade, para mim, a generosidade é sinónimo de amor, amor pelo próximo e pelo desconhecidio. Eu fui generosa em querer ter tido filhos, a Ana foi generosa em querer adotar, ambas quisemos ser mães independentemente da forma como se chega a esse fim.

tudo de bom a todos os pais que amam os seus filhos e que fazem tudo por eles.

sofia costa disse...

São notícias destas que me enchem o coração! Adotar é um ato de amor e coragem. Ter um filho biológico também o é. Mas dois filhos de uma só vez é de uma coragem incrível!!! :D
Que bom para os gémeos poderem crescer juntos!
Boa sorte para a nova família!

Catarina Pereira disse...

É muita generosidade mesmo e é um sinal de que as boas pessoas EXISTEM e estão entre nós para nos contagiarem e mostrarem que é possível SER ASSIM, viver assim e contribuir para a felicidade dos OUTROS!
parabéns aos casal amigo, orgulho em saber que há portugueses e famílias ASSIM.