24 de agosto de 2012

quando a maior vantagem se torna o maior problema

Há 3 anos, quando me pus à procura de uma creche para a Leonor, encontrei esta que agora encerra. Na altura não me pareceu que tivesse as melhores instalações, no entanto, tinha a vantagem de reunir poucas crianças, o que permitia que tivessem muita atenção e carinho por parte das educadoras. A creche que agora encerra não era perfeita, mas as educadoras fizeram o seu melhor, muitas vezes de forma algo "amadora", fizeram o seu trabalho como sabiam e cada vez que entrava uma nova criança mais alento havia em continuar o projeto delas. Consciente ou inconscientemente todos os pais deviam imaginar que isto um dia podia acontecer, todos sabemos fazer contas e se nós ficávamos admirados "como elas conseguiam sobreviver?",  certamente que os outros pais também ficávam. Creio que foi por isso que 10 casais mantiveram pacientemente os seus filhos na creche que agora encerra, porque nós víamos que elas davam o que podíam e tentavam corrigir aquilo que nós apontávamos como errado. Por várias vezes ponderei retirar a Leonor da creche, umas vezes por me passar com esse certo amadorismo, outras por achar que se calhar fazia bem à nossa filha conviver com mais crianças, no entanto, com a chegada do irmão optámos por deixá-la naquele espaço até ela fazer 4 anos - infeliz ou felizmente isso não irá acontecer.
Estávamos, estamos de férias e fomos apanhados desprevenidos, temos agora que desencantar um infantário que tenha vagas, que fique perto de casa, que preencha de alguma forma a alegria que ela tinha na creche de sempre.
Ai que caneco, que gastura... espero em breve conseguir resolver este assunto :(

3 comentários:

ann.dorinha disse...

Ainda não sei o que é essa angustia mas percebo que não deva ser fácil. Revolta-me que o sistema de ensino público português não abranja o jardim de infância para crianças com menos de 3 anos! Infelizmente acho que tal coisa nunca vai acontecer...

Marta disse...

É uma situação mesmo desgastante. Imagino a correria para encontrar O local de um dia para o outro.
Desejo-vos boa sorte nessa procura. E serenidade, tenham calma que a solução chegará.

Anónimo disse...

Aconteceu-me o mesmo, o meu filho só foi para a cresce com 18 meses, ficou lá um ano e pensei que ficaria até aos 3, agora em plenas ferias, tive que encontrar outra, com a agravante dele nao conhecer ninguem na nova e a mana nascer em outubro, muita mudança para uma criança com 2 anos e meio... e será apenas por mais um ano, porque para o ano que vem tem que ir para um infantario...

NA