23 de janeiro de 2011

Causa-Efeito

Desde que ela nasceu que sinto sempre uma espécie de peso na minha consciência. Não sei explicar muito bem, mas sei que tudo o que eu faço, e refiro-me mesmo a tudo, ao nível mais básico, tem um impacte sobre ela. Esse impacte pode ser positivo, mas também negativo. Existe sempre o receio de que por melhores que sejam as nossas atitudes, elas não sejam bem interpretadas ou então não resultem naquilo que havíamos apostado.
Este filme é muito comovente e creio que qualquer Pai não ficará indiferente.

Destaco: "Happiness only real when shared"

Into the Wild, de Sean Penn, 2007

5 comentários:

Anónimo disse...

A Sofia escreve lindamente e sabe encantar quem lê os seus belos textos. Mas neste post detectei duas coisas (insignificantes). A primeira é a maneira como escreve peso, coloca um acento circunflexo, mas sempre aprendi a escrever só peso. Quanto a isto até acho graça (será resultado de ensinamentos de diferentes gerações?).
A segunda é a palavra impacto. No sentido desta frase, impacto deveria ser impacte (com e). E porquê?, perguntará a Sofia. Porque impacto (tem o lado físico, por ex, um carro que colide com outro, neste caso, existiu um impacto - um toque, um choque, um murro, etc.), no caso de impacte, significa que teve ou terá repercussões em qualquer coisa. Exclui-se a natureza física e táctil e passa-se ao abstracto.
Espero ter sido útil. :)
Gosto imenso do seu blog.
Raquel

**SOFIA** disse...

Olá Raquel, tem de facto toda a razão ao apontar-me esses erros! Não sei bem porquê, mas tenho sempre a tendência para acentuar as palavras. Impacto e Impacte, muito bom!. Agradeço as explicações e em simultâneo os elogios.

É por essas e por outras que gosto imenso de manter este espaço.

entretanto já corrigi ;)

volte sempre!!

A mãe que capotou disse...

Adorei este filme, a banda sonora, a mensagem, tudo. Vi-o com uma perspectiva muito pessoal, confesso, até porque uma experiência assim me faria muito sentido.
Quando acabei a minha licenciatura senti também a necessidade de ir por caminhos diferentes dos obvios (coisa que não fiz com tanta coragem como o personagem do filme e da vida real).
Mas tens razão, também merece uma leitura enquanto pai/mãe. La vou ter que vê-lo novamente... ainda bem!
Podes arranjar-me também uma boa desculpa para rever Harvey Milk ?

**SOFIA** disse...

Eu já tenho uma boa desculpa para rever o Harvey Milk, a versão que vi tinha as legendas péssimas... :D

Claro que podes sempre re-analisar esse filme e tirar notas sobre as desvantagens de meter um filho na vida política!

oitooitenta disse...

Adorei o filme, revejo muitas pessoas nele. Curti o post e já na altura que vi o filme pensei nos pais dele...

Adorei saber isto do Impacte!!