13 de abril de 2011

Já não há homens como antigamente - felizmente!


Surgiu o desafio, e eu aceitei, colegas da blogosfera, mães modernas inspiram-se neste artigo e botam para fora o que lhes vai na alma.
Olhando para o meu caso pessoal, sim, posso dizer que o meu homem sofre com todo o rol de funções que lhe estão atribuídas. Agora sofre menos porque eu tenho mais disponibilidade para dividir tudo o que é necessário para que a nossa rotina seja menos caótica, mas antes o andamento era dose. Quando eu passava mais de metade do dia fora, ele começou por trabalhar em casa para poder controlar os pequenos movimentos da nossa cria, durante esse período ele era papas, fraldas, banho, telefone, fazer a jardineira para o jantar, mais os clientes, algumas deslocações entre reuniões (com bebé incluído) e supermercados. Foram tempos muito intensos e que quase nem demos pelo correr dos meses.
Claro que quem está responsável por estes assuntos domético/profissionais sua as estopinhas para conseguir conciliar tudo, mas sim, agora é "novidade" por haver mais homens a lidar com estas coisas do lar. Sinais dos tempos? Pois que remédio, a necessidade ao esforço obriga, e se eu tenho um marido que faz tudo o que eu faço (e até posso dizer que faz coisas mais bem feitas), a verdade é que a sensação que eu tenho é que realmente eles são cada vez mais a revelarem estes dotes do lar. No meu antigo emprego, vários colegas ficaram em casa a curtir as suas licenças de paternidade e saíram-se lindamente com todas as tarefas que envolviam a gestão do bebé e do lar. Nunca foram ridicularizados, nem postos num canto, mas sim gabados e incentivados por terem feito essa opção. Eu fico contente, vejo os homens  portugueses a deixar para trás aquela postura de chegar a casa e pôr os pézinhos em cima da mesa, vejo-os a pegar no "segundo turno" como algo normal. Na minha opinião a coisa vai ficar mesmo espetacular quando tanto mulheres como homens tiverem exactamente os mesmos direitos à parentalidade. Espero sinceramente que esse dia não se demore muito mais.

O meu homem, é um português moderno, com certeza!

Ler mais testemunhos altamente modernos em:

A Mãe que capotou
Gralhadixit
A vida a 4D
Este é meu...
Em estado puro (privado)
Ervas de cheiros

7 comentários:

Madame Pirulitos disse...

Sofia: gostei muito e quero três coisas JÁ: quero o teu marido (ponto final)
e quero o teu jeito descomplicado de escrever
e quero o teu jeito fantástico para a fotografia


(e também quero uma filha como a leonor)

A mãe que capotou disse...

Ele foi com a Leonor a reuniões com clientes ? Percebi bem ? é que neste caso, fica muitos anos luz à frente da ja muito à frente euro-deputada que tinha levado o bébé para o parlamento. Uau ! Percebi bem ?
In-cré-du-la !

**SOFIA** disse...

não só a levou a reuniões com clientes, como houve um cliente que lhe deu a papa enquanto o maridão fazia o pedido urgente! - foram situações extremas -

pirulitos, o meu marido está no seguro ;PP

Marta disse...

O teu não é moderno, é um modernaço!
Palminhas para ele, como faria a minha mais pequena :p
E os colegas também estão de parabéns!
Ao meu, num emprego anterior, na primeira filha, umA colega chegou a dizer que não entendia os pais gozarem a licença, é mesmo para terem mais uns dias de férias!

sofia disse...

Sim, o teu marido é mais que moderno, tão moderno e tão paizão que até pôs um cliente a dar papá à Leonor!!!
Mais que incrível
:D

miriam disse...

como diria a minha mãe, soubemo-los escolher!! :D
sim, também tenho a tua sorte ;)))
um grande viva para eles!

Marta Mourão disse...

Adorei o cliente do teu marido ter dado a papa à Leonor. Demais.