12 de setembro de 2012

ir para o infantário


Eu desde que me lembro de ir para a escola que acho que nunca chorei, ía com gosto e por mais desafiante que o cenário parecesse eu nunca estranhei o ambiente escolar. Na semana passada, quando a nossa mais velha estreou a escola nova, eu estava confiante que a coisa ía correr bem. Ela é uma criança tímida nas primeiras impressões, mas depois solta-se e é bastante alegre, brincalhona e muito tagarela. Infelizmente no primeiro dia da escola nova estavam a decorrer obras de melhoramentos no edifício, houve alguns atrasos e quando abriu o ano lectivo ainda lá andava o sacana do berbequim e maquinarias afins. O resultado foi uma choradeira  incrível, medo de ir para um local totalmente desconhecido, com pessoas estranhas, hábitos novos e ainda por cima cheio de ruído irritante. Deixámo-la lá por um par de horas, ela colou-se à educadora e assim que se aproximou a hora do almoço pôs a mochila às costas e avisou logo que se ía embora comer a sopa a casa!
Quando cheguei para a ir buscar estava calma, e assim que me viu, veio a correr confirmar que nos íamos dali para fora - Sim, sim, vamos para casa. - Vivaaaaa!
O dia seguinte também teve direito a choro de despedida, mas era aquele choro de mimo, pois ela garantiu-nos que já não tinha medo do berbequim! Chorou um bocadinho e depois foi só brincar e descobrir coisas novas. Ao ir buscá-la encontrei-a a dançar no meio da sala, sozinha, agarrada ao seu ursinho toda divertida. Veio até mim toda elétrica a contar as novidades, despediu-se das educadoras com beijinhos e veio embora feliz da vida.
Para amenizar a situação incentivei-a a levar para a escola um ursito que ela usava na escola antiga para dormir. Felizmente a tática funcionou e ela não largou o boneco por um instante nos primeiros dois dias, foi como uma tábua de salvação, uma referência de casa e da escola onde já se havia sentido segura e confortável.
Passados uns dias de nova escola posso dizer que a vida está a voltar ao "normal", um normal bastante diferente do anterior, mas ainda assim um normal muito bom. Ela chega à sala contente, cumprimenta as educadoras, entra logo a correr e até se esquece de me dizer "adeus". O fim do dia revela os efeitos secundários das novas rotinas - muito cansaço e alguma desorientação e mau feito ao serão - pfff é desagradável, mas antes assim.

6 comentários:

Maria da Luz disse...

eu estou nessa fase, mas com o meu de 2 anos e pela primeira vez a pôr o pé na escola...
e não tem sido fácil.
chora à despedida e vai chorando durante o dia, quando se lembra onde está.
pelo menos acorda com vontade de ir e apetece-lhe... até pôr o pezinho lá dentro.
Enfim.
É uma angustia para as mães..
espero que passe depressa.

administrador disse...

a tua professora chamava-se Carla ;-)

Aline r disse...

Ainda bem. O objeto de conforto é importante. Também falei nisso num post. Afinal, enturmou-se depressa. Há crianças que levam muito mais tempo.
beijinhos

Marta disse...

Tu tens uns tesourinhos jeitosos!
A Leonor reagiu muito bem. Se já está integrada, foi canja!

miriam disse...

=))) rica nora! ;) eles não dormem nessa escola nova? o jaime continua a dormir... por um lado é bom que chega mais calmo a casa por outro deita-se sempre tarde! :s

sof* disse...

sim, na escola nova há duas coisas de que gosto muito: ela está numa sala com meninos da idade dela (e não agrupada numa de 3-5) e continuam a fazer a sesta num dormitório. para já estamos muito satisfeitos!